quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Nunca te colori

Meu Amor...

Nunca reparei que eras verde,
Amei sempre o que tu eras.
Nunca te colori,
pois  estavas em todas as cores quando te conheci.
Essa imagem colorida foi a que ficou do primeiro olhar,
mas nunca reparei que eras verde.
Depois
Este vento ao contrário que me tirou cor ao Amor,
Que me doeu a preto e branco
Que me levou o coração.
Nunca pensei que eras verde.


HHoje 

12 comentários:

  1. "Nunca te colori,
    pois estavas em todas as cores quando te conheci".

    Como havias de o ver num só valor cromático?

    Lindo!

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade Sandra, estava em todas as cores, só depois é que ficou verde...
      Beijinho. :)

      Eliminar
  2. Então o teu amor também é verde!!!

    ResponderEliminar
  3. Mas verde é, também, a cor da esperança.

    Beijo, SD! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A cor dos dias, da natureza, de nós, verde!
      Beijo Maria

      Eliminar
  4. Conhecia este poema...de um outro tempo, de outras marés em que, de vez em quando, o mar parecia também vestir-se de azul...
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conhecias sim, eu sei, e sinto saudades dessas partilhas de outras marés.
      Beijinho Maria.

      Eliminar
  5. O amor é como o arco-íris
    Tem todas as cores possíveis
    que compõem uma tela pintada com aguarelas...

    Quest...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma aguarela, gostei da analogia.
      Depois são os nossos olhos que a pintam!

      Eliminar
    2. Os nossos olhos
      e a nossa mente
      são responsáveis pelas cores que pintam o amor...

      Depois há os daltónicos...
      Coitados...

      Quest...

      Eliminar
  6. O amor é como uma tatuagem. Precisa de ser retocada ao longo dos anos :)
    Beijos

    ResponderEliminar